Tuesday, November 09, 2010

Da saudade irreversível

Num samba insuportavelmente lotado, in-cri-vel-men-te lotado, lembro de mim sozinha enquanto ele conversava com alguns amigos. lembro de ter pensado: "isso aqui tá muito cheio". Foi quando ele voltou num abraço e emendou uma dancinha a dois. "ah, ainda bem que estou com ele... assim qualquer lugar fica bom". Lembro tanto de ter sentido assim. E de deixar o desconforto da multidão de lado, junto com os sapatos, e com ele dançar até de manhã... Esse era só o primeiro de outros encontros. De idas e vindas. Culpa do acaso que nos reaproximou para a despedida que veio tão rápida. Mas sou grata ao acaso, mesmo faltando tanto pra dizer...

E é essa lembrança do samba que quero que fique.
O que sinto de bom quando te vejo em sonho ou pensamento, não quero deixar de sentir.
Nem daqui a 50 anos...

Saudade. Todo dia, saudade.


There was an error in this gadget